Top

Renan Ramalho, G1 (3/3/2017) - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) identificou suspeitas de fraudes em 15,6 mil títulos de eleitor registrados entre as eleições de 2014 e 2016. De acordo com o levantamento, há mais de 7,4 mil pessoas com mais de um título registrado, o que indica fraude na obtenção do documento.

Segundo o tribunal, as possíveis fraudes identificadas são casos em que um mesmo indivíduo conseguiu obter mais de um registro, o que configura ilícito eleitoral.

O número foi obtido graças ao cruzamento de informações biométricas, que vêm sendo coletadas pela Justiça Eleitoral nas últimas eleições. Os dados foram enviados para análise do Ministério Público, a quem cabe propor ações para punir os responsáveis.

O estado com maior número de registros em duplicidade e pluralidade foi Alagoas, com 2.188 casos, seguido por São Paulo (1.733), Goiás (1.503), Rio Grande do Norte (1.389) e Maranhão (934). Só em Goiás, há uma pessoa que conseguiu emitir 51 títulos.

Nas eleições do ano passado, estavam aptos a votar 144 milhões de eleitores, dos quais 46,3 milhões tinham o cadastro biométrico, realizado com as digitais da pessoa. A Justiça Eleitoral tem como objetivo completar o cadastro para todos os eleitores até 2022.